Membro do PT de Parintins discorda de possível aliança com MDB

Atual presidente esteve na convenção do MDB no sábado. Porém, diz que a legenda irá trabalhar por candidatura própria

Membro do PT de Parintins discorda de possível aliança com MDB Foto Divulgação Notícia do dia 01/10/2019

 

 

Um dos quadros mais presentes das atividades recentes do Partido dos Trabalhadores em Parintins, o médico veterinário Gustavo Passanelli, discordou em entrevista ao site AmEmPauta, da possibilidade de união entre PT e MDB no município. A cogitação de união iniciou no final de semana quando o presidente do PT, Flávio Farias, participou da convenção do MDB que passou a ser comandado pela empresaria Márcia Baranda.

 

Gustavo afirmou o que coalizões com o MDB do ex-presidente Michel Temer e com outros partidos de sustentação do governo Bolsonaro não poderão acontecer.

 

"A última resolução nacional de 2017 é bem clara. Alianças do PT terão que ser com partidos de esquerda, PSOL, PCdoB, setores do PSB, PDT, com base em um programa anti-imperialista, anti-monopolista e radicalmente democrático. Aliança com partidos que estão votando contra os trabalhadores está fora de questão", disse o médico veterinário.

 

Gustavo Passanelli afirmou que o posicionamento pode motivar até mesmo uma intervenção do diretório nacional em Parintins. "Por mais que um grupo A ou B tinha ganhado as eleições, o PT tem sua base social que são os militantes, e que não aceitam essa situação", explicou.

 

O filiado do PT lembrou que o PMDB do Amazonas tem se alinhado as reformas do presidente Bolsonaro no Congresso Nacional. "A reforma da previdência retira direito dos trabalhadores. O filiado Flávio Farias está distante do partido e seria importante que voltasse a participar das reuniões. Se um dia o MDB foi nosso aliado, hoje não é mais. É base do governo. Estamos de outro lado da trincheira", destacou Passanelli.

 

Flávio Farias

 

IMG-20191001-WA0169

 

Flávio Farias em contato com o site AmEmPauta esclareceu que esteve em uma agenda institucional como convidado, que o posicionamento é com o diálogo e que a meta é construir uma candidatura própria. "No dia seguinte fiz uma postagem dizendo que iremos trabalhar com candidatura própria. Isso não é porque o companheiro Gustavo quer ou deixa de querer. A maioria vai decidir. Nós fazemos parte de um partido democrático", afirmou.

 

Flávio afirmou que lamenta que o filiado Gustavo Passarelli não o tenha procurado para saber o seu posicionamento. "Em momento algum falei em coligar com o PMDB. Inclusive filmaram o momento que falei que respeitava a Márcia, mas que estaríamos com candidatura própria. Em vez do Gustavo ir por outras linhas, deveria me procurar. Se outro partido nos procurar, iremos conversar, mas o nosso projeto é candidatura própria", reiterou.

 

Márcio Costa/AmEmPauta

Veja Mais

Das Antigas