Deputado Saullo Vianna pode ser cassado após expulsão do Cidadania

Deputado se manifestou em nota ao BNC

Deputado Saullo Vianna pode ser cassado após expulsão do Cidadania Foto Divulgação Notícia do dia 08/11/2019

Em assembleia ordinária na noite desta quinta-feira, dia 7, o diretório do Cidadania resolveu expulsar de suas fileiras o deputado estadual Saullo Vianna, eleito em 2018 quando a legenda se chamava PPS. O motivo foi infidelidade às normas partidárias.

 

A informação é do Portal BNC Amazonas da noite desta quinta-feira. 

 

O processo de expulsão havia sido admitido pela comissão de ética do partido em setembro deste ano, assim que Vianna aceitou ser vice-líder do governador Wilson Lima (PSC) na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM). A orientação da legenda seria para não compor a base de apoio do governo.

 

À época, o deputado disse que não sabia nada decisão sobre o alinhamento com o governo. “Se os dirigentes do partido quiserem discutir esse assunto, basta marcar uma reunião aberta ao público, fora das sombras”.

 

Na noite de hoje, Vianna disse ao BNC Amazonas que vai se manifestar sobre o assunto.

 

A expulsão de Vianna foi decidida por unanimidade dos votos dos membros do Cidadania, informou ao site o presidente estadual Elci Barroso.

 

Ele disse que, ao comunicar a decisão ao parlamentar, informará que o partido agora vai ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) pela cassação do mandato de Vianna e a posse do suplente.

No caso, o suplente do deputado no Cidadania é o coronel da reserva da Polícia Militar Amadeu Soares.

 

A resposta de Saullo Vianna

Nota ao BNC

Quanto a informação de que o Partido Cidadania havia expulsado o Deputado Saullo Vianna dos seus quadros esclareço:
1) que o Deputado Saullo apresentou defesa na Representação movida no Conselho de Ética informando que:
1.1. Mesmo sendo Deputado Estadual, não é convidado/convocado para as reuniões partidárias;
1.2. Que não foi convocado e não participou de qualquer deliberação partidária sobre o apoio ou não ao Governo Wilson Lima na Aleam;
2. Que não foi comunicado (como sempre) da sessão de julgamento do Conselho de Ética do Partido para apresentar sua defesa na reunião;
3. Que o partido, ao não convidar o seu único Deputado eleito para as reuniões partidárias, incorre em grave discriminação pessoal contra o mesmo;
4. Que o Deputado permaneceu filiado à agremiação pela qual foi eleito, não incorrendo em infidelidade partidária, na forma da resolução tse 22610/2007, mesmo sendo vítima de grave discriminação pessoal;
5. Que o Deputado sempre priorizou o interesse do povo do Estado do Amazonas nas suas deliberações na Aleam, votando sempre de acordo com o melhor para o Amazonas;
6) segue o exercício do mandato outorgado pelo povo com serenidade e à disposição do partido que decidiu não desejá-lo mais em seus quadros.

 

Marco Aurélio Choy
Advogado do Deputado Estadual Saullo Vianna

Veja Mais

Das Antigas