DiCaprio nega que tenha feito doação a ONG após acusação de Bolsonaro

Presidente afirmou, sem apresentar provas, que ator e a organização WWF financiam queimadas criminosas na Amazônia.

DiCaprio nega que tenha feito doação a ONG após acusação de Bolsonaro Leonardo DiCaprio — Foto: Reuters Notícia do dia 30/11/2019

O ator americano Leonardo DiCaprio se manifestou após o presidente Jair Bolsonaro acusá-lo de colaborar com queimadas criminosas na Amazônia por meio de doações à WWF, organização não governamental (ONG) que atua na área ambiental.

 

Em nota, DiCaprio nega que tenha feito doações a ONGs citadas em investigações sobre incêndios florestais no Brasil. "Embora mereçam apoio, nós não financiamos as organizações citadas."

 

No comunicado, o ator diz ainda que tem orgulho de grupos que protegem ecossistemas e elogiou o povo brasileiro, que "está trabalhando para salvar seu patrimônio natural e cultural".

 

Leia a íntegra da nota:

 

"Neste momento de crise para a Amazônia, apoio o povo do Brasil que trabalha para salvar seu patrimônio natural e cultural. Eles são um exemplo incrível, comovente e humilde do compromisso e paixão necessários para salvar o meio ambiente. O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de apoiar os grupos que os protegem. Embora dignas de apoio, não financiamos as organizações citadas. Continuo comprometido em apoiar as comunidades indígenas brasileiras, governos locais, cientistas, educadores e as pessoas que estão trabalhando incansavelmente para garantir a Amazônia para o futuro de todos os brasileiros."

 

Bolsonaro fez as acusações nesta sexta-feira (29), ao se encontrar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília.

 

"Quando eu falei que há suspeitas de ONGs, o que a imprensa fez comigo? Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", disse.

 

O presidente não apresentou provas que sustentem as afirmações.

 

Ele já tinha citado DiCaprio um dia antes, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

 

"O pessoal da ONG, o que eles fizeram? O que é mais fácil? Botar fogo no mato. Tira foto, filma, a ONG faz campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio, e o Leonardo DiCaprio doa 500 mil dólares para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tocando fogo, tá certo? Leonardo DiCaprio tá colaborando aí com a queimada na Amazônia, assim não dá."

 

Bolsonaro se referia aos quatro brigadistas da região de Alter do Chão, no Pará, que foram presos, depois de apontados pela Polícia Civil como suspeitos de atear fogo na floresta para obter doações. As prisões geraram críticas.

 

As entidades mantenedoras das atividades desses brigadistas protestaram contra as acusações. O Ministério Público disse que não há indícios do envolvimento deles e investiga a ação de grileiros em Alter do Chão.

 

O governador Hélder Barbalho, do MDB, interferiu. Afastou o chefe da investigação, delegado Fabio Amaral, e a Justiça mandou soltar os brigadistas.

 

A organização WWF declarou em nota que os recursos enviados à brigada Alter do Chão não incluíram doações do ator Leonardo DiCaprio, que não comprou fotos da brigada Alter do Chão nem pôs fogo na Amazônia.

 

A ONG afirmou que, ao contrário, mobilizou recursos para fortalecer organizações locais que se dedicam a proteger a floresta de desmatamento e queimadas, e lamentou que o Presidente da República insista em divulgar inverdades.

 

Repercussão

 

As declarações de Bolsonaro repercutiram fora do país.

 

Os jornais americanos "Washington Post" e "New York Times" destacaram que o presidente do Brasil criticou DiCaprio por incêndios na Amazônia e afirmaram que Bolsonaro não ofereceu nenhuma prova.

 

O britânico "The Guardian" diz que Bolsonaro acusou falsamente o ator de ter pago pelos incêndios.

 

Fonte: G1

Veja Mais

Das Antigas