Contas de Antônio Andrade foram reprovadas pelo Conselho Fiscal do Garantido

Assembleia não aconteceu por conta de uma liminar na justiça. Assembléia precisa apreciar o relatório do Conselho.

Contas de Antônio Andrade foram reprovadas pelo Conselho Fiscal do Garantido Foto Márcio Costa/ AmEmPauta Notícia do dia 18/09/2021

 

 

As contas do primeiro ano da gestão do Presidente Antônio Andrade a frente do Boi Garantido tiveram parecer pela reprovação pelo Conselho Fiscal da agremiação. 


O parecer do Conselho Fiscal não chegou a ser apresentado na assembleia geral de prestação de contas, que foi suspensa por ordem da Justiça que deferiu liminar proposta pelo ex-presidente Adelson Albuquerque. Adelson Albuquerque questionou a proibição da presença de sócios inadimplentes, como previa o edital de chamamento de prestação de contas assinado pelo Presidente Antônio Andrade.

 

O site AmEmPauta divulgou em primeira mão a ordem da juíza Larissa Padilha que suspendeu a assembleia de prestação de contas. 

 

O site AmEmPauta também em primeira mão conseguiu  parecer prévio que desaprovou as contas de Antônio Andrade em seu primeiro ano de gestão. 

 


Segundo informações do próprio conselho, foram analisadas as contas de outubro, novembro e dezembro de 2020, assim como de Janeiro a Abril de 2021. 

 


Não foram entregues as prestações de contas dos meses maio, Junho, julho e agosto.

 


"Ficamos lá quinta-feira e ninguém da diretoria foi nos justificar o por que até aquela hora, deles não terem levado as pastas dos meses que faltavam para serem avaliados", disse um membro do Conselho Fiscal.  

 


O próprio Conselho Fiscal em nota assinada pelo presidente Raimundo Oscar e Astrid Portilho denunciou Antônio Andrade, meses atrás, por não prestar contas de 10 balancetes mensais, como determina o estatuto do Boi Garantido. 

 

Em Live do AmEmPauta na manhã deste sábado, o Presidente Antônio Andrade afirmou que não havia entregue os balancetes de mensais ao Conselho Fiscal por dificuldade da pandemia e da alagação na Cidade Garantido, mas se comprometia de normalizar a prestação de contas.

 


O atual presidente do Boi disse também que apenas cumpriu o estatuto do Garantido que prevê a não participação de sócios inadimplente, mesmo ele permitindo acesso na manhã deste sábado, a todos os sócios, inclusive os que não pagam suas mensalidades. 

 

 

 

 

Procurado pela reportagem, o ex-presidente Adelson Albuquerque afirmou que foi motivado a entrar na justiça por entender que o presidente atual do Boi Garantido Antônio Andrade não tem porquê de exigir que os sócios estejam em dia com suas mensalidades, visto que o próprio Antônio Andrade, nas palavras de Adelson Albuquerque, não pagava suas mensalidades, na época que ele (Adelson) era presidente do Boi Garantido. Adelson disse também que o próprio Antônio Andrade foi eleito em uma assembleia em que todos os sócios, inclusive os inadimplente, tiveram o direito de participar. 

 

 

 

Márcio Costa/ AmEmPauta

Veja Mais

Das Antigas